Linfoma

Rev. Agosto de 2013

 

O linfoma, algumas vezes chamado de linfosarcoma, é um dos dois tumores herdados do Pastor Australiano (o outro é o hemangiosarcoma). Linfoma é um câncer das células brancas do sangue. Inicia mais frequentemente nos linfonodos, baço ou medula óssea. O tumor pode começar também no sistema digestivo, pele ou timo. O sinal mais comum é um linfonodo aumentado abaixo da mandíbula ou atrás da articulação do joelho. Cães afetados frequentemente ficam letárgicos, anoréxicos, perdem peso, ou tem inchaços nas pernas ou face. Ocasionalmente eles irão beber água e urinar frequentemente, ter dificuldades de respirar, ter áreas irritadas na pele ou na boca, apresentar vômitos ou diarreia escura com cheiro ruim.

O prognóstico varia e é dependente da forma específica de linfoma que o cão tem. Algumas formas respondem melhor a quimioterapia embora a maioria dos cães terão uma recaída após um período de remissão. Com quimioterapia adicional  uma segunda remissão é geralmente possível , embora com uma duração mais curta que a primeira. A maioria dos cães eventualmente irão morrer devido à doença.

Parentes de primeiro grau de cães afetados (pais, irmãos inteiros e meio irmãos, além de filhos) devem ser reproduzidos somente com animais de padigrees tão livres de linfoma quanto possível e que não tenham nenhum parente próximo com a doença. Se o sêmen de um macho afetado tiver sido estocado, ele deve ser descartado.

Traduzido de Fabiana Michelsen de Andrade