Anomalia do olho do Collie

Rev. March 2013

 

Choroidal hypoplasia (the light area tothe left of the optic nerve.)

A anomalia do olho do Collie (AOC) é uma doença herdada e congênita que algumas vezes leve à cegueira. Todos os cães com AOC têm hipoplasia coroidal (HC) bilateral, também chamada de displasia corioretinal, um afinamento do tecido vascular na parte de trás do olho que não prejudica a visão de maneira significante. Alguns cães têm também o coloboma do nervo ótico, no qual o tecido nervoso não é totalmente desenvolvido no ponto onde o nervo ótico se liga à parte de trás do olho. Poucos cães terão descolamento da retina. Estes dois últimos são defeitos mais sérios que podem causar a cegueira.  AOC está presente ao nascimento e não progride, então não existe nenhuma preocupação de que um filhote afetado ficará pior quando envelhecer. Também não causa ao filhote afetado qualquer tipo de dor.

Filhotes afetados pela AOC geralmente parecem normais porque muito poucos têm defeitos que afetam a visão seriamente. Estes defeitos estão dentro do olho e não podem ser detectados sem instrumentos especiais, e então o diagnóstico só pode ser feito por um médico veterinário oftalmologista, ou com um exame de DNA. Enquanto o coloboma e o descolamento da retina serão identificados no exame, HC pode não ser aparente em filhotes mais velhos do que 6-8 semanas de idade, porque pode ser obscurecida à medida que o pigmento se desenvolve na parte de trás do olho, uma condição chamada de afetado mascarado.

HC é causada por uma mutação genética recessiva. Embora este gene não causa sozinho os defeitos mais sérios, cães que não têm duas cópias da mutação não irão desenvolver os defeitos da AOC. Outros genes ainda não identificados, efeitos ambientais, ou regiões regulatórias de DNA têm um papel na determinação de exatamente quais defeitos um cão terá. Cães portadores, tendo somente uma cópia da mutação, são normais. Não existe nenhuma relação conhecida entre AOC e cor da pelagem ou dos olhos. AOC tem sido identificado em outras raças, incluindo Collie, Pastor de Shetland e Border Collies. A mutação para AOC é a mesma em todas as raças afetadas.

É possível que exista alguma dificuldade de diagnóstico de AOC no momento do exame, então se houver qualquer dúvida o teste de DNA pode ser utilizado para a confirmação. Se um cão é detectado como afetado, tanto sua mãe como seu pai carregam a mutação. Tanto pais, como irmãos completos, e prole de um cão afetado, e também de portadores identificados, devem também ser testados antes de serem utilizados na reprodução. Cães afetados não devem ser reproduzidos. Portadores devem ser reproduzidos somente com cães testados e com resultado clear (normal).

AOC é uma doença que é facilmente não detectada se criadores não realizam rotineiramente exames dos olhos de filhotes jovens. Estatisticamente, somente 25% dos filhotes de uma ninhada vinda de dois portadores serão afetados. Se não for realizado exame de todos os filhotes, incluindo aqueles que irão para lares de não criadores, a presença de AOC pode não ser notada. Se filhotes não são avaliados até 7 ou 8 semanas de idade, eles podem ainda ser afetados mas não detectados pelo exame ocular.
Traduzido de Fabiana Michelsen de Andrade